A Amazônia tem pressa

Notícias

A importância da Amazônia para o mundo é proporcional à sua extensão. A região influencia o suprimento de água, melhora a qualidade do ar que respiramos além de nos fornecer alimentos, medicamentos e matérias primas para os mais variados segmentos da indústria. Para celebrar esse rico bioma, dia 3 de setembro, a The Nature Conservancy (TNC) realizou em São Paulo, em parceria com o Santander, o evento “A Amazônia tem pressa: Experiências Empreendedoras”.

O evento foi aberto pelo presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, que destacou como é essencial pensar uma política de conservação no país que se alinhe com ações de desenvolvimento sustentável construídas colaborativamente, apesar das diferenças. “Tudo pode ser resolvido como em uma empresa, com gestão, com um grupo de líderes capaz de trazer ao Brasil uma agenda. Nunca será uma unanimidade, mas pode ser uma agenda de consenso, que é nos tornarmos um país mais rico, socialmente, culturalmente e ambientalmente e, para isso, sabemos o que tem de ser feito. Temos que buscar a união, e não aprofundar a divisão”, afirmou.

Durante a programação, Karen Oliveira, Gerente de Infraestrutura da TNC Brasil, apresentou o painel ”Expansão da infraestrutura na Amazônia e visão integrada do território”. Na oportunidade, foi apresentado o Atlas Tapajós 3D, que propõe a discussão de novas soluções para o desenvolvimento na Bacia do Tapajós, na Amazônia, por meio da construção de uma visão compartilhada do território, que concilie as dimensões social, econômica e ambiental. Karen defende que a participação dos diversos segmentos, incluindo os empreendedores, tema do evento, na discussão sobre desenvolvimento regional é essencial. “O olhar de diferentes empreendedores e segmentos, cada um com sua vivência, traz luz e inspiração demonstrando que, apesar das muitas dificuldades encontradas pelo caminho, é possível estabelecer um processo de desenvolvimento, harmônico e sustentável no território amazônico”, conclui.

O encerramento do evento contou com a fala de Santiago Gowland, Diretor Executivo da TNC na América Latina, que destacou como a organização enxerga na parceria com o setor privado uma oportunidade para conciliar conservação e desenvolvimento, considerando também os empreendedores locais na discussão para consolidar um modelo inclusivo para expansão da infraestrutura na Amazônia.