Como investir na produção sustentável de alimentos?

Notícias

Por Michael Doane e Jennifer Molnar

Nosso relacionamento com a comida é baseado no nosso relacionamento com a natureza. A produção de alimentos depende da qualidade do solo, abastecimento de água e clima favorável. Além disso, a agricultura domina nosso plante, com plantios e pastagens cobrindo quase 40% do território e utilizando 70% da água potável, por isso a preservação da natureza depende diretamente da maneira como lidamos com a produção de alimentos. Com o crescimento da população mundial e da demanda por comida, a conexão entre pessoas, alimentos e natureza se torna cada vez mais importante.

Enquanto a maioria de nós reconhece o papel vital da natureza no desenvolvimento de um modelo sustentável de produção de alimentos, precisamos reconhecer os desafios. Há vários sinais de que já estamos desenvolvendo mudanças positivas em como produzimos alimentos. Esforços para frear o desmatamento da expansão agropecuária estão crescendo, o uso consciente de água hoje é uma prioridade, e as Nações Unidas criaram uma agenda de desenvolvimento sustentável para incentivar a ação coletiva para questões ambientais e sociais. Mudar nosso sistema de produção de alimentos pode ser a chave para não só fornecer comida para um mundo em expansão mas também para garantir um futuro onde a natureza e as pessoas possam prosperar.

Então, como podemos acelerar a transição para uma agricultura sustentável? Conheça quatro oportunidades de grande potencial para prover comida e água sustentavelmente:

1) Trabalhar em escala

Agricultura e produção de alimentos são atividades gigantes, responsáveis por cerca de 3 trilhões de dólares do PIB mundial e diretamente ligadas às decisões diárias de 7.5 bilhões de consumidores e 1 bilhão de agricultores e pecuaristas. Ainda existe um número relativamente pequeno de empresas no mundo atuando na produção de insumos agrícolas, no processamento de grãos e alimentos e também na distribuição desses produtos para os consumidores.

Hoje é possível perceber um aumento da percepção dessas empresas sobre sua responsabilidade em relação a natureza e o impacto positivo que elas podem ter. Por isso é essencial haver colaboração com empresas do setor alimentício por uma mudança no sistema de produção. Isso inclui fomentar a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, além de buscar inovações de mercado para estimular a adoção de práticas de conservação da natureza e agricultura de menor impacto. Para garantir melhores resultados, é essencial trabalhar em parceria com todo o setor, desde agricultores familiares até grandes corporações e fazendas comerciais, para garantir um impacto em larga escala. Trabalhando conjuntamente, combinando nossa expertise de conservação da natureza com o conhecimento de mercado das maiores organizações responsáveis pelo agronegócio, é possível alcançar um grande retorno de investimento para a natureza e para a economia.

2) Mudança Financeira

O acesso ao crédito é um dos mais importantes fatores no processo de produção de agricultores e pecuaristas. Segundo algumas estimativas, a expansão da demanda pro comida necessitaria de $80 bilhões anualmente de novos investimentos até 2050. Por sorte, esses investimentos também podem ser uma alavanca para práticas de conservação. Como investidores buscam por opções para aumentar o impacto social em seus portfolios, financiar programas de agricultura sustentável pode ser uma opção convincente. Por exemplo, sabemos que ainda existem alguns produtores rurais que são relutantes em adotar práticas de conservação do solo, devido aos custos e incertezas quanto ao tempo em que se pode alcançar os benefícios. Incentivos financeiros que levem em conta o valor das práticas de conservação a longo prazo podem acelerar a adoção de práticas mais sustentáveis.

Com nosso conhecimento institucional em finanças e gestão de território, a TNC trabalha em parceria com diversas organizações para desenvolver novos modelos de financiar a produção agrícola com avançados requisitos de administração. Por exemplo, recentemente nós desenvolvemos em parceria com a Bunge e o Santander Brasil um fundo de empréstimos para expansão da produção de soja sem desmatamento no Cerrado.

3) Inovação Revolucionária

Inovação é uma necessidade absoluta para produção de alimentos e agricultura. Com a população e demanda por comida crescendo exponencialmente entre 1961 e 2005, foi possível evitar desastres aumentando a produção em 162% por meio do uso de espécies geneticamente modificadas, fertilizantes, irrigação, pesticidas e outras práticas de manutenção enquanto a área de plantio cresceu apenas 27%. Isso protegeu milhões de hectares de florestas da conversão em plantios, evitando potencialmente centenas de gigatons de emissão de gases do efeito estufa. Mas esses ganhos também se devem aos números de compensações ambientais, especialmente nas que dizem respeito a qualidade da água. Podemos aprender, nesses casos, tanto com a escala de mudança positiva quanto com os impactos não intencionais para as pessoas e a natureza.

Porém é necessária mais inovação para enfrentar os desafios que temos. Por exemplo, um estudo recente sugere que as mudanças climáticas vão intensificar os danos de pragas de insetos. Mesmo com as modernas estratégias de controle de pragas, são perdidas entre 20% e 40% das safras anualmente, enquanto a resistência a pesticidas aumenta. Mas medidas tomadas para solucionar algumas questões podem causar outros impactos não intencionais. Existem preocupações hoje quanto ao impacto de pesticidas na saúde pública e qualidade da água, que trouxeram a necessidade de uma regulamentação mais severa. A próxima onda de inovação deve, portanto, considerar esses desafios e também ser mais aplicável a diferentes culturas agrícolas e regiões.

A natureza pode ser a solução. Produtores inovadores estão manejando o solo com técnicas avançadas de fertilidade e controle de pestes. A próxima geração de inovações pode vir do mundo sob os nossos pés. Em outro exemplo, agricultores podem usar seus celulares para monitorar a necessidade de água de seus plantios ou prever o ataque de pestes com base em complexos dados em nuvem. Porém, apesar dos exemplos inspiradores, os investimentos em inovação na agricultura e sistema alimentar está bem distante do necessário para conseguir um impacto significativo. Isso precisa mudar.

4) Empoderar Consumidores

Cada vez mais os consumidores têm a expectativa de que a comida que compram seja produzida de forma sustentável e responsável. Vemos sinais positivos de que nosso sistema de produção de alimentos esteja mudando para suprir essa expectativa. Empresas começam a estabelecer programas mais responsáveis de obtenção de matéria-prima e o campo científico tem contribuído de forma significativa com pesquisas para desenvolver novos modelos de produção com práticas sustentáveis. Em geral, nós vemos esses esforços como passos na direção correta, mas existe mais trabalho a ser feito para aumentar a transparência e consistência dessas ações.

Sinais do mercado podem ajudar a alcançar as mudanças necessária. A certificação de produtos orgânicos, por exemplo, tem oferecido aos consumidores a possibilidade de tomar decisões de forma clara para apoiar práticas agrícolas certificadas. Mas embora o mercado de orgânicos tem passado por um rápido crescimento, ele representa muito pouco do mercado varejista de alimentos, apenas 5% nos Estados Unidos. Os outros 95% precisam de atenção também, e a TNC está trabalhando com produtores rurais e organizações de diversos setores para criar padrões de produção que possam levar a uma profunda transformação.

Assim como consumidores estão usando dados e novas tecnologias para fazer diferentes escolhas quanto a sua alimentação, novas ferramentas digitais estão oferecendo dados apurados e economicamente viáveis para que produtores possam gerenciar seus plantios e permitir que empresas possam monitorar uma mudança para projetos mais sustentáveis. Isso pode melhor não só os plantios, mas também o gerenciamento de nutrientes, conversão de habitats e eficiência de recursos.

Para onde vamos agora?

A TNC tem um longo histórico trabalhando com agricultura, e nossos agrônomos, cientistas da conservação, biólogos e ecologistas têm trabalhado com produtores rurais, empresas, governos e outros parceiros ao redor do mundo para testar e implementar possíveis soluções. Temos encontrado sucesso com várias abordagens diferentes, focando nossos esforços principalmente nas quatro áreas destacadas acima, e construindo uma sólida base de conhecimento científico em compromisso com a colaboração.

Se tivermos sucesso, vamos proteger milhões de hectares de vegetação nativa da conversão lavouras, preservar as fontes de água em diversas bacias hidrográficas ameaçadas, restaurar milhões de hectares de áreas degradadas em pastos subutilizados com melhoramento da qualidade do solo e manutenção de nutrientes, além de fortalecer um caminho economicamente viável de sequestro de carbono e mitigação de mudanças climáticas na agricultura. Para isso, precisamos deixar claro o valor da natureza, não só por seu charme e beleza, mas também por ela prover água e comida para todos nós.


Michael Doane é Vice-Diretor de Agricultura e Produção de Alimentos da TNC
Jennifer Molnar é Vice-Diretora e pesquisadora do Centro de Sustentabilidade Científica da TNC.