TNC participa de XVIII Simpósio Brasileiro de  Sensoriamento Remoto em Santos-SP

Foram apresentados resultados de mais de 3 mil propriedades rurais adeptas ao CAR


Santos-SP | 11 de julho de 2017

Em 28 a 31 de maio, a The Nature Conservancy participou do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Na ocasião, foram apresentados os resultados de dois estudos realizados pela TNC.
 
Raphael Vale e Jailson Soares, da equipe de Ciências da TNC, apresentaram uma nova metodologia para geração de diagnósticos ambientais multiescala para imóveis com CAR (estudo este subsidiado pela Cargill). A abordagem incluiu a elaboração de mapas de uso e cobertura do solo para julho de 2008 (marco legal do desmatamento), bases cartográficas digitais (incluindo mapeamento de corpos d’água em escala refinada) e o desenvolvimento de ferramentas automatizadas de geoprocessamento que permitem a integração e cruzamento de múltiplas bases espaciais e a incorporação de todas as disposições estabelecidas pelo Código Florestal. O estudo foi aplicado aos municípios de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos, localizados na região do Tapajós, oeste do Pará,  e inseridos no contexto da expansão da fronteira da soja e de projetos de infraestrutura na região.
 
Mais de 3 mil propriedades rurais com CAR foram analisadas, compreendendo uma área total de 418 mil hectares. Em 67% da área analisada foram observados remanescentes florestais e um total de 90 mil hectares de excedentes florestais que poderão ser eventualmente ofertados como Cotas de Reserva Ambiental. No entanto, a maioria das propriedades apresentaram áreas com passivos ambientais de restauração obrigatória, totalizando mais de 11 mil hectares de passivos a restaurar.
 
A metodologia proposta, além de permitir o acompanhamento individual e em escala do cumprimento do Código Florestal, também pode constituir um importante subsídio à implementação do Programa de Regularização Ambiental (PRA) e possibilita dimensionar, inclusive, os esforços técnicos, insumos e recursos financeiros, bem como as oportunidades de estabelecimento de arranjos institucionais necessários à regularização ambiental não só de um imóvel rural, como de um município ou mesmo de uma região.
 
A engenheira florestal Larissa Amorim, que participou do programa de estágio junto à equipe de Ciências, apresentou um estudo também da TNC sobre os efeitos da redução das zonas de amortecimento no entorno das áreas protegidas do município de São Félix do Xingu, na região sudeste do Pará, através da análise de focos de calor e de desmatamento na região. O município possui o maior rebanho bovino do Brasil, é o 6º maior em extensão de área e está inserido no arco do desmatamento na Amazônia como um dos prioritários para ações de combate ao desflorestamento.
 
Embora não tenha sido observada uma relação direta entre a redução das zonas de amortecimento e o aumento da pressão antrópica nas regiões de entorno até o momento, num contexto de governança instável como o da área de estudo em questão, a redução das zonas de amortecimento prejudica diretamente a manutenção da conservação das áreas protegidas a medida que as torna mais expostas a eventuais pressões antrópicas.


A The Nature Conservancy (TNC) é uma organização não governamental que desenvolve projetos de conservação em mais de 30 países. No Brasil desde 1988, a TNC tem como missão proteger plantas, animais e ecossistemas naturais que representam a diversidade de vida na Terra. A organização atua nos principais biomas brasileiros Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal. Para mais informações, acesse: tnc.org.br

Mais informações