Santander Brasil e The Nature Conservancy promovem debate sobre o desenvolvimento da Amazônia


São Paulo - SP | 30 de agosto de 2017

O banco internacional com maior presença no Brasil e a maior organização ambiental do mundo decidiram fomentar, juntos, formas de promover o desenvolvimento econômico e social sustentável da floresta tropical mais extensa do planeta. O fruto da parceria é o evento “O Amanhã na Amazônia é Hoje”, que Santander Brasil e The Nature Conservancy (TNC) realizam em 5 de setembro, o Dia da Amazônia, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

 

Na pauta estão temas como a avaliação dos custos social e ambiental dos projetos de infraestrutura realizados na área da floresta e a responsabilidade de quem financia essas obras. O presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, e o vice-presidente da TNC para a América Latina, Joe Keenan, receberão convidados como o pensador Juan Carlos Castilla-Rubio, membro do Conselho Global de Recursos Naturais do Fórum Econômico Mundial, além da presidente do Ibama, Sueli Araújo, e de representantes do agronegócio e de comunidades indígenas.

 

Na avaliação de Sérgio Rial, “o grande valor da Amazônia não estará mais nas commodities produzidas hoje, mas nos ativos biológicos da região que ajudarão a transformar as indústrias de energia, água, alimentação e saúde, entre outras”. Segundo o executivo, até hoje dois paradigmas antagônicos vinham sendo trabalhados: a conservação total e irrestrita ou a exploração por meio da transformação da mata em commodity. “Podemos abrir mercados totalmente novos e de alto valor agregado, beneficiando não apenas as populações locais, mas também o Brasil e o restante do mundo. Queremos dar início a um movimento pela construção de uma visão compartilhada sobre o futuro da Amazônia”.

 

“É prioritário empenhar esforços para consolidar, gerenciar e expandir o sistema de áreas protegidas. Isso passa também por reconhecer que as terras indígenas representam as mais importantes regiões de alta integridade ecológica na transição cerrado-floresta, além de serem responsáveis pelas principais áreas de proteção dos aquíferos e da biodiversidade”, afirma Joe Keenan, vice-presidente da TNC para a América Latina.

 

A TNC apresentará, no evento, um estudo de caso sobre a Bacia do Tapajós, que propõe a construção de uma visão ambiental e territorial para o futuro da região. A proposta enfatiza a importância dos recursos hídricos como elemento central no planejamento territorial da região e a necessidade de os múltiplos empreendimentos previstos para essa área serem vistos em conjunto, e não isoladamente, já que seus impactos são cumulativos. O estudo deve facilitar a construção de um processo qualificado de discussão e engajamento da sociedade e dos tomadores de decisão, de forma a alcançar o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico, o bem-estar social e a conservação. 


A The Nature Conservancy (TNC) é uma organização não governamental que desenvolve projetos de conservação em mais de 30 países. No Brasil desde 1988, a TNC tem como missão proteger plantas, animais e ecossistemas naturais que representam a diversidade de vida na Terra. A organização atua nos principais biomas brasileiros Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal. Para mais informações, acesse: tnc.org.br

Mais informações