Julia Mangueira, Coordenadora regional da TNC no Mato Grosso, fala durante evento de assinatura do PCI de Barra do Garças-MT.
TNC no PCI de Barra do Garças Julia Mangueira, Coordenadora regional da TNC no Mato Grosso, fala durante evento de assinatura do PCI de Barra do Garças-MT. © Enilson Arneiro

Notícias

Barra do Garças caminha para a sustentabilidade

Prefeitura, terceiro setor e empresas assumem compromisso pelo futuro sustentável do município aderindo ao projeto Produzir, Conservar, Incluir (PCI)

Os próximos cinco anos serão vitais para Barra do Garças, município mato-grossense localizado a 521 km ao Leste de Cuiabá. A partir de hoje, Prefeitura Municipal, Instituto Produzir, Conservar e Incluir (PCI), Iniciativa para o Comércio Sustentável (IDH) e The Nature Conservancy (TNC), entre outras organizações, assumem o compromisso de cooperarem mutuamente para colocar em prática um plano de desenvolvimento local, que dinamize a economia regional com sustentabilidade social, cultural e ambiental.

Esse é o foco central do Memorando de Entendimento do programa Produzir, Conservar e Incluir (PCI) assinado pelos parceiros no dia 25 de junho. “Nosso objetivo é nos tornamos referência em desenvolvimento sustentável. Com o PCI, com certeza alcançaremos nossos objetivos em curto espaço de tempo”, destacou o prefeito municipal, Roberto Farias. Cidade polo no Vale do Araguaia, Barra do Garças tem uma diversidade econômica que vai além do agronegócio, incluindo serviços e produtos ligados ao turismo, graças às belezas naturais e culturais da cidade. atesta o gestor municipal.

Lançada durante a Conferência do Clima de Paris no final de 2015, a Estratégia PCI consiste em uma visão de longo prazo que visa promover o desenvolvimento econômico e social pelo uso eficiente da terra. Em 2019, a PCI entrou em nova fase com a criação do Instituto PCI por decreto estadual, mantendo a meta de articular ações públicas e privadas e captar recursos para fomentar programas e projetos ligados à implementação da Estratégia. Seu principal instrumento são planos estratégicos, como o de Barra do Garças, com metas e prazos a serem cumpridos.

“Para que a PCI aconteça em Mato Grosso, é fundamental o envolvimento e o engajamento dos municípios, das pessoas e organizações que fazem de fato nossas metas de produção, conservação e inclusão acontecerem na ponta. Barra do Garças dá hoje um exemplo de como uma região também pode pensar o futuro de seu território rural. Nosso papel, através do Instituto PCI, é trazer apoio e parcerias para fazer essa visão se tornar realidade”, pontua o diretor executivo do Instituto PCI, Fernando Sampaio.

Entre as metas já definidas no memorando, estão a recuperação de 100 mil hectares de pastagens com baixa produtividade até o ano de 2030 e o incentivo à integração do sistema lavoura/pecuária, por exemplo. Aumento de produtividade nas lavouras de grãos e o fomento à produção de biomassa visando energia renovável são outros itens no pilar de ações referentes à produção econômica.

Já quanto à conservação, o memorando prevê a eliminação do desmatamento ilegal até 2020, a universalização do sistema de registro ambiental rural (SIMCAR) nos próximos dois anos e a recuperação de todas as nascentes municipais até 2025, entre outras metas. O documento reúne no pilar “Incluir” as iniciativas mais voltadas para a agricultura familiar, como aquicultura, pesca artesanal, produção de mel, fruticultura e produção de leite. Aproveitando a riqueza cênica natural de Barra do Garças, o plano PCI também inseriu metas voltadas para a atividade turística.

O memorando é resultado de uma ação de mobilização de vários setores da sociedade barra-garcense e reflete a visão de futuro predominante entre os atores locais. Essa articulação interinstitucional foi tarefa da IDH Brasil com o apoio da The Nature Conservancy (TNC), responsável pela mobilização local e suporte técnico na definição das metas.

“A IDH atua de forma a apoiar a construção da visão estratégica de uso do território por meio de consenso. Um município com governança e transparência para uso dos recursos naturais entrega resultados para a visão do PCI e atrai investidores”, observa Daniela Mariuzzo, diretora executiva da IDH Brasil – organização de fomento holandesa especializada em iniciativas sustentáveis, com atuação em mais de 40 países pelo mundo.

“Formamos um grupo técnico local para definir metas que atendessem a necessidade local e estratégias de ação envolvendo todos os elos das cadeias produtivas, com foco no fortalecimento de uma produção mais sustentável. O grupo estudou o programa PCI estadual e integrou atores sociais em um processo de gestão compartilhada, com discussão de informação e levantamento de dados”, explica Raimunda de Mello, Especialista em Conservação da TNC Brasil.

O memorando assinado hoje é um segundo passo rumo ao desenvolvimento sustentável de Barra do Garças. Em abril, prefeitura, Câmara, TNC e IDH assinaram a carta de intenções, que ainda contou com o apoio de empresas, associações de produtores, bancos, entidades e órgãos públicos. Confira aqui a lista com todos os signatários do Memorando de Entendimento.