Pesquisador da UFOPA coletando ictioplânctons para pesquisa realizada com apoio da TNC.
COLABORAÇÃO PARA PESQUISA Pesquisador da UFOPA coletando ictioplânctons para pesquisa realizada com apoio da TNC. © UFOPA

Notícias

Fomentar a inovação para fortalecer a conservação

TNC e UFOPA lançam edital de financiamento de pesquisas de inovação tecnológica para comunidades tradicionais.

A inovação tecnológica é uma ferramenta estratégica para fortalecer a conservação da natureza. Para estimular a buscar por novas formas de contribuir nessa agenda na bacia do Tapajós, no Pará, a TNC firmou uma parceria com a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) para oferecer bolsas aos estudantes que querem se dedicar a realização de pesquisas para estimular o empreendedorismo em comunidades tradicionais e a bioeconomia.

O edital Inovatec Sociobio, prioriza a seleção de projetos de pesquisa desenvolvidos por graduandos de comunidades indígenas e quilombolas, em que as pesquisas realizadas possam incentivar novas formas de empreender ou apoiar iniciativas econômicas das comunidades que estejam também aliadas com a conservação da biodiversidade. 

A ideia ajudar a manter os laços desses estudantes com as necessidades de suas comunidades, e também promover a conexão da universidade com as comunidades locais

Gerente da Estratégia de Povos Indígenas da TNC Brasil

‘’Queremos dar destaque à inovação de acordo com as necessidades das comunidades, na valorização dos jovens indígenas e de comunidades tradicionais dentro das universidades”, afirma Helcio Souza, Gerente da Estratégia de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais da TNC Brasil.
 “A ideia ajudar a manter os laços desses estudantes com as necessidades de suas comunidades, e também promover a conexão da universidade com as comunidades locais’’, conlui Helcio.

Serão aceitas propostas que proponham soluções tecnológicas para desenvolvimento de bioprodutos, facilitar a produção, coleta e comercialização de produtos da sociobiodiversidade, assim como iniciativas para fortalecer o empreendedorismo coletivo em comunidades indígenas, quilombolas, extrativistas e ribeirinhas. O edital também abre oportunidades para projetos que ajudem a fortalecer o empreendedorismo de mulheres nessas comunidades, além de iniciativas que proponham a melhoria da qualidade de água e geração ou uso de energia renovável nas comunidades.



Os povos indígenas e comunidades tradicionais são parceiros importantes para promover a conservação, já que as áreas geridas por essas comunidades geralmente estão entre as mais protegidas do desmatamento na Amazônia. Fomentar iniciativas que apoiem a melhoria da qualidade de vida das pessoas que vivem nas comunidades, assim como contribuir para a capacitação de seus membros, é essencial para ajudar a garantir a autonomia das comunidades na gestão dos seus territórios, que colabora para a proteção da Amazônia.