Equipe realizando manutenção de área restaurada em torno de uma nascente em pasto degradado de Salesópolis-SP.
Recuperando áreas degradadas Equipe realizando manutenção de área restaurada em torno de uma nascente em pasto degradado de Salesópolis-SP. © Felipe Fittipaldi

Notícias

Novo software pode ajudar na redução dos custos de restauração florestal

GoFor auxilia técnicos e tomadores de decisão a encontrar áreas mais efetivas para restauração.

Especialista e executores de projetos agora podem contar com mais um aliado tecnológico para melhorar a qualidade dos resultados de restauração florestal. GoFor é um software gratuito para avaliar a probabilidade de sucesso da restauração em uma determinada área, ajudando a planejar ações mais eficientes em termos de ganhos ecológicos, redução de esforços técnicos e operacionais além da otimização de recursos. Baseado em software livre e desenvolvido com base em uma série de estudos sobre inteligência espacial aplicada a biodiversidade, o programa é acessível a qualquer profissional da área de restauração florestal, fornecendo informações para uma tomada de decisão melhor qualificada.

A ferramenta é uma iniciativa da The Nature Conservancy (TNC), por meio da Aliança dos Fundos de Água da América Latina, em parceria com o projeto Natural Capital, da Universidade de Stanford, o Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS) e o Laboratório de Silvicultura Tropical (LASTROP) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP).

Após fazer o download do arquivo instalador em tnc.org.br/GoFor e instalar o software, os usuários podem utilizar a ferramenta como um recurso adicional no planejamento de projetos de restauração florestal. O GoFor permite gerar mapas e relatórios que apontam locais onde ações de restauração provavelmente promoverão a recuperação da biodiversidade em níveis mais próximos dos encontrados em ecossistemas florestais de referência, ou seja, as florestas mais preservadas. Essa informação ajuda a identificar locais onde ações de restauração podem ser mais eficazes para a recuperação da biodiversidade nativa, possibilitando maiores ganhos ecológicos e socioambientais. Além dessa utilização, o GoFor mostra um indicativo da chance de regeneração natural da floresta, quando a própria natureza possui capacidade de se recuperar sozinha. Uma informação essencial para a indicação de técnicas de restauração menos intensivas e onerosas, permitindo a otimização de recursos e ampliação de capacidade de restaurar áreas maiores.

O software tem aplicação global e pode ser utilizado em todas as florestas tropicais e temperadas do mundo, tanto para a restauração em escala local, como em uma propriedade rural, quanto no planejamento de ações em um bioma inteiro, por exemplo. Dessa forma, o GoFor pode contribuir significativamente para aumentar a escala da restauração florestal, no Brasil e muitos outros países, em apoio aos objetivos do Acordo de Paris para combater às mudanças climáticas.

Ferramentas como o GoFor e o AnaliSAFs são importantes para ajudar técnicos e produtores rurais a entender melhor as possibilidades de técnicas de restauração e projetar iniciativas que sejam mais adequadas para as suas áreas. Assim, é possível preencher uma lacuna que existia no acesso à informação sobre o custo-eficiência da restauração florestal, que poderia causar maiores gastos e uma possível ineficiência que ampliavam os desafios para restaurar áreas degradadas. Para avançar a escala da restauração florestal da forma necessária para atingir as metas definidas em acordos internacionais, é essencial trabalhar pela difusão do conhecimento e capacitação de profissionais, usando a tecnologia a favor da natureza.

O software foi lançado oficialmente na 8ª Conferência Mundial Sobre Restauração Ecológica, a SER 2019, na Cidade do Cabo, na África do Sul. Na ocasião, também foi apresentado um artigo baseado no trabalho A new approach to map landscape variation in forest restoration success in tropical and temperate forest biomes, publicado no periódico Journal of Applied Ecology, e que serviu como base teórica para desenvolvimento do GoFor.